Voo Daniel – Daniel Gentili

Foi no início do ano de 1975 que, recém brevetado no Aero Clube de Botucatu (1974 ),resolvi fazer o curso de Piloto de Planador em Bauru…

Me apresentei como piloto de Paulistinha  e lá fui fazer o meu curso…

Recebi instrução do Dagoberto, Celso, Jalil, após três fins de semana e quatro reboques

La estava eu com o Kurt no ” Neivão”  PBG para ser “solado”…..

Decolamos mal ganhamos quinhetos pés…. o Kurt desligou e disse bem alto “pane”!

Não deu outra, meia volta e pousamos. Em seguida, meu voo solo. Maravilha!

Apesar de morar em São Paulo, eu frequentava o ACB todos os fins de semana, sempre fazendo um ou dois voos de PA-18 ( quem me deu um duplo de um voo foi o Joel ). De planador, mesmo, era no máximo um ou dois voos porque os planadores de duplo comando ( Neivão e Blanik ) eram muito solicitados para instrução. E para passar para o Grunau tinha que ter o “C” ou seja 30 minutos de voo livre.

Em um fim de semana, o Kurt e o Pimpa me chamaram no bar dizendo que era para eu ser rebocador…pois estava sempre voando no PA-18   PP GKV.

No domingo, logo no início dos voos, lá estava o Jalil para me dar um “duplo”. Tudo preparado…planador, rebocador… PA-18  PP-GJA….decolamos…o Jalil me explicando tudo…  eu sentia o avião muito leve…..e o.Jalil dizia:  é assim mesmo …tem um motor de 150 cavalos!

Lá pelos 400 metros, o Jalil me disse: – olhe para traz, dê o sinal ( balançar asas ) e espere o desligamento. Dê um pequeno mergulho e vire a esquerda ( na época Bauru era ao contrario dos outros aeroclubes), porque o Kurt achava que era mais rápido para o rebocador entrar no “tráfico” e pousar.

- Veja onde está o planador e volte para a pista – disse o Jalil.

Olhei para traz antes de dar o sinal  …e ..  cadê o planador…..?

Gritei: – Jalil… não planador nenhum!!!

- Como não tem? – disse ele, olhando para confirmar o fato.

Ficamos preocupados mas logo descontraímos. Olhamos para baixo e vimos que o planador tinha ficado na pista, ou melhor, nem tinha saído do lugar. Simplesmente não engataram e saímos “vazios”.

O duplo foi esse voo, por que logo em seguida reboquei novamente.

O tempo foi passando e eu somente rebocava planadores. Então a minha experiência em voar planadores era muito pequena, mas eu ia tentando pois queria fazer 5 horas de Grunau e ainda não tinha os 30 minutos de voo livre necessário.

Em uma ocasião, logo após a decolagem…..com muita turbulência…..realmente muito forte… era mais ou menos 12:30 h, desliguei logo após a decolagem, continuei no “trafico”…e pousei antes que o rebocador. Não deu nem 5 minutos.

A partir daí, o Deco, filho do Dilson Maffini ( o mais novo piloto de planador ) começou a chamar de VOO DANIEL um voo muito curto….e a moda pegou……

Com o tempo, acabei conseguindo fazer os meus 30 minutos. Só que, daí para 5 horas de Grunau era outra novela.

Como rebocador, eu identificava fácil as térmicas e lá deixava os planadores. Mas rodar térmica com o planador era outra história. Não tinha experiência, então o máximo que consegui foi 3,5 horas de Grunau, nada de 5 horas. E olha que tentei bastante!

O Kurt sabia da minha dificuldade como rebocador. Eu fazia até 30 reboques por dia naquela época, quase não voava  de planador. Então, um belo dia, o Kurt me mandou voar de Spalinger. Eu fiz um voo com o Dagoberto, solei e no outro fim de semana – 6:15 horas de voo – decolei logo depois do meio dia. Pousei quase no escuro. Daí para frente voei tudo que saia do chão e que pertencia ao Aeroclube de Bauru.

Mas o VOO DANIEL permaneceu muito tempo, mesmo depois que deixei de voar em 1980…

VOO DANIEL: o apelido para o voo muito curto de planador…..

O ano de 1975 foi inesquecível!

Autor: Daniel Gentili – Piloto de Planador, Rebocador, Instrutor (1975-1980) ACB